quarta-feira, 22 de agosto de 2012

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA, UMA BELA HISTÓRIA DE VIDA


Edição: Adilson Gonçalves
Joaquim Barbosa nasceu em Paracatu, noroeste de Minas Gerais. É o primogênito de oito filhos. Pai pedreiro e mãe dona de casa, passou a ser arrimo de família quando estes se separaram. Aos 16 anos foi sozinho para Brasília, arranjou emprego na gráfica do Correio Braziliense e terminou o segundo grau, sempre estudando em colégio público. Obteve seu bacharelado em Direito na Universidade de Brasília, onde, em seguida, obteve seu mestrado em Direito do Estado.
Foi Oficial de Chancelaria do Ministério das Relações Exteriores (1976-1979), tendo servido na Embaixada do Brasil em Helsinki, Finlândia e, após, foi advogado do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) (1979-84).
Prestou concurso público para procurador da República, e foi aprovado. Licenciou-se do cargo e foi estudar na França, por quatro anos, tendo obtido seu mestrado e doutorado ambos em Direito Público, pela Universidade de Paris-II (Panthéon-Assas
) em 1990 e 1993. Retornou ao cargo de procurador no Rio de Janeiro e professor concursado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Foi visiting scholar no Human Rights Institute da faculdade de direito da Universidade Columbia em Nova York (1999 a 2000) e na Universidade da Califórnia Los Angeles School of Law (2002 a 2003). Fez estudos complementares de idiomas estrangeiros no Brasil, na Inglaterra, nos Estados Unidos, na Áustria e na Alemanha. É fluente em francês, inglês, alemão e espanhol. Toca piano e violino desde os 16 anos de idade.
Embora se diga que ele é o primeiro negro a ser ministro do STF, ele foi, na verdade, o terceiro,[5] sendo precedido por Hermenegildo de Barros (de 1919 a 1937) e Pedro Lessa (de 1907 a 1921).

6 comentários:

  1. uhau!!!maravilhada c/ a história de luta deste simbolo..pena q ainda é assim temos sempre q nos superar,superar os outros nada é simples p/ os negros..

    ResponderExcluir
  2. A força e o equilíbrio, necessários para o sucesso individual e o crescimento intelectual não são determinados pela a raça, nem pela condição social econômica e, sim pelo caráter. Que linda vida!!!! Do eminente Ministro, repleta de energia construtiva, de direcionamento focado para suas realizações individuais. Bravíssimo, Ministro!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. F@ Lopes 11 de setembro de 2012 20:30
    Este home deveria ser o exemplo de vida para os brasileiros, este é o caminho, a perseverança, o estudo... Ao inves de saudarmos tanto jogadores de futebol...

    ResponderExcluir
  4. Sr. Ministro Joaquim Barbosa, saiba que o Sr. é motivo de orgulho para o país inteiro, não penas pode fazer parte da corte suprema, mas por ter dignidade e sapiencia para julgar e promover a justiça.

    Não sei se o Sr. lerá isso, mas fica o meu recado.

    ResponderExcluir
  5. Um exemplo vivo de que é possível vencer no Brasil com méritocracia, sem cotas raciais e/ou sociais...

    ResponderExcluir
  6. E muito facil quen nasce cresce sem c preocupa com comta d agua luz aluguel etc.. falar q isso nao ten nada a ver para
    Virar d adivogado a ministro semdo negro ou pardo (excluidos da burguesia) parabens joaquin barbosa

    ResponderExcluir